close

AS CRIADAS • THE MAIDS

130ª Produção

FICHA ARTÍSTICA | CAST AND CREW

autor | author Jean Genet

tradução | translation Eduardo Tolentino de Araújo, Rui Madeira

dramaturgia e encenação | dramaturgy and direction Rui Madeira

assistente de encenação | staging assistant Eduarda Filipa

elenco | cast Mafalda Canhola, Sílvia Brito, Solange Sá

cenografia | sets Acácio Carvalho

figurinos | costume designer Manuela Bronze

desenho de luz | lightning design Nilton Teixeira

SINOPSE

Genetialidade

Como numa matrioska o texto dentro do texto dentro do testo, como numa história que se repete sem fim como duas irmãs devotas e humildes como numa cebola que se descasca como numa vida que se vive como o prazer de um serial killer como duas criadas que vestem gestos da patroa como que adrenalina que se experimenta como duas irmãs que treinam o ódio para atingir o indizível como numa aliança de sangue como num terço que se reza sem fim como que em voz baixa como duas irmãs curvadas como o cuspo que nos sai da boca como o escarro que se engole e nos aperta a goela como se vive a Liberdade como o suor duma penetração anal como um ranger de dentes num silêncio de gelo como um pedaço de carne que sai quente do forno e como entra à força na boca do corpo como se maquilha a Solidão como dois corpos se combatem como duas bocas se abrem como duas bocas se fecham como o tempo do silêncio como quando nada se escuta como a palavra: AMOR!

Rui Madeira

Genetiality

As in a matrioska the text within the text within the cover, as a story that repeats itself endlessly as two devout and humble sisters as in an onion which peels itself as a life that is lived as the pleasure of a serial killer as two maids who dress the mistress’ gestures as adrenaline that is experienced as two sisters who train the hatred to achieve the unspeakable as in a blood alliance as in a rosary endlessly prayed in low voice as two sisters bended like the spit that comes out of our mouth as the gob that’s swallowed and squeezes our gorge as Freedom is lived as the sweat of an anal penetration as a gnashing of teeth in an ice cold silence as a piece of meat that comes out from the hot oven and forces itself in the body’s mouth as we put makeup on Solitude two bodies fight as two mouths open as two mouths close as time of silence as when nothing is heard as the word: LOVE!

Rui Madeira

Ante-estreia – 17 e 18 de Novembro de 2016 | Preview – November 17 and 18 | Estreia – 19 de Novembro de 2016 | Premiere November 19, 2016