close

PRECONCEITO VENCIDO

PRECONCEITO VENCIDO zip
PRECONCEITO VENCIDO zip I
PRECONCEITO VENCIDO zip II
PRECONCEITO VENCIDO zip III

103ª Produção

FICHA ARTÍSTICA

autor Pierre Marivaux

tradução Mário Barradas

encenação Rui Madeira

elenco Jaime Soares e Mabelle Magalhães, Thamara Thaís e Allex Miranda (estagiários no âmbito do projecto de Intercâmbio da CTB com a Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia e a Prefeitura de Camaçari/ Brasil) e André Laires (estagiário da Oficina “Bacantes: a orgia do Poder”)

espaço cénico Rui Madeira

figurinos Sílvia Alves

design de luz Fred Rompante

design gráfico Carlos Sampaio

fotografia Paulo Nogueira

SINOPSE

Este espectáculo é, antes de mais, um exercício de actores.

… Marivaux foi, no teatro, precursor da Revolução Francesa. Defendeu a emancipação da mulher, o direito de voto, o sufrágio universal, visualizou a união livre, a igualdade sexual… mas ao contrário do seu contemporâneo Rousseau, cinquenta anos antes, acreditava que o homem nasce mau, mas que a sociedade o torna pior. É isso que se pode tirar de Preconceito Vencido: os interesses sociais e económicos combinam-se com os do coração a tal ponto que, até parece que estão ligados naturalmente. Uma tentativa para a feliz aliança da aristocracia (falida) com a burguesia (endinheirada), na busca do poder político, «organizada» e testemunhada aqui, pela astúcia dos criados.

Rui Madeira