close

OS LUSÍADAS

OS LUSÍADAS I
OS LUSÍADAS IV
OS LUSÍADAS III
OS LUSÍADAS V
OS LUSÍADAS II

101ª Produção

FICHA ARTÍSTICA

autor Luís Vaz de Camões

encenação Alexej Schipenko

apoio dramatúrgico Regina Guimarães, Saguenail

assistente de encenação Madlen Wust

elenco Carlos Feio, Jaime Soares, Puppa Formusura, Rogério Boane, Rui Madeira, Solange Sá, Teresa Chaves

cenografia e figurinos Samuel Hof

design de luz Fred Rompante

design de som Pedro Pinto

design gráfico Carlos Sampaio

fotografia Manuel Correia

vídeo Pedro Pinto, Samuel Hof

voz de computador Elisabete Apresentação

SINOPSE

OS LUSÍADAS são um produto do génio e do tempo em que foram escritos. A primeira coisa que tentámos fazer foi transformar o texto numa forma visual, de modo a separar esses dois níveis. Ou seja: o importante não é AQUILO que acontece mas COMO é que acontece. A principal situação inscrita no poema é uma VIAGEM, um trajecto, um estado de trânsito. O texto contém outras situações que HOJE têm um impacto menor. Nos nossos dias o oceano é comparável ao espaço sideral e a verdade é que sabemos quase tudo acerca da colonização, etc. A questão é QUEM escreveu esta viagem, quem está dentro do poema. Luís de Camões viveu e morreu como um cão. Solitário. Pobre. Uns escassos 56 anos de vida. A ele devemos o texto. A ele devemos uma nacionalidade. Camões usou palavras maravilhosas para criar o corpo espiritual de uma nação. O terceiro nível dos Lusíadas é um imenso conhecimento secreto. Camões escreveu centenas de páginas recheadas de nomes como Júpiter, Vénus, Andrómeda, etc. Para quê? Para quê tanta artilharia mitológica? Deuses, planetas, heróis, criminosos e perdedores faziam parte da sua intimidade.

Alexej Schipenko